Por Jaime Payne – Diretor da Birds intercâmbio

Muitas pessoas ao longo dos vinte anos que estamos no mercado, nos questionam se vão melhorar muito o nível do idioma com o intercâmbio que pretendem fazer. Perguntas do tipo: “Vou fazer um intercâmbio de alguns meses, vou voltar fluente no inglês?” A resposta nossa, na maioria dos casos, é não. Falamos na maioria dos casos, pois para uma parcela pequena das pessoas que nos perguntam isso, que já tem uma base bem consistente do idioma, com bom conhecimento gramatical, de tempos verbais, etc. e lhes faltam somente a “coragem” de falar – provavelmente nestes poucos meses eles percam este medo e aprimorem o que já aprenderam, e tenham a oportunidade de “colocar para fora” tudo isso, passando assim a se sentirem mais confortáveis para usar o outro idioma, voltando mais fluentes.

Para quem inicia um curso em um nível elementar de conhecimento de inglês, de acordo com estimativa da rede universia em seu site, o tempo de aquisição necessário para se estabelecer conversas e compreender o que está ouvindo, é de 400 a 500 horas de estudo. Ou seja, para um estudante que está matriculado em um curso de 25 horas por semana, cerca de 4 meses. De acordo com esta mesma fonte, para se chegar à fluência, partindo-se do nível básico são necessárias cerca de 4000 horas de estudo, ou seja, cerca de três anos para quem estuda 100 horas por mês. O estudo no exterior, abrevia razoavelmente este tempo, pela imersão em que o estudante está colocado, mas não faz mágica. Uma pessoa que ainda não tem nível avançado, dificilmente voltará fluente após poucos meses de curso de inglês, ainda que intensivo.

É certo, que o tempo de aquisição da linguagem, pode variar de uma pessoa para outra, conforme suas habilidades. Por isso, nossas dicas para os intercambistas que querem aprender um idioma no exterior são:

E por fim, não coloque como principal objetivo na sua experiência de intercâmbio, a aquisição do idioma. Veja isso como um fantástico bônus. Ponha em primeiro plano, o conhecimento de novas culturas, hábitos, capacidade de adaptação ao novo, o exercício da tolerância, a capacidade de trocar experiências, de negociar. Tudo isso vai te tornar maior, mais capacitado para sua vida pessoal e profissional. Esta é a maior riqueza que o intercâmbio cultural nos oferece.