Morar no exterior – você voltaria para o Brasil? Tem gente que não!

ESTRUTURA DO SISTEMA DE ENSINO
julho 14, 2017
Como saber se meu inglês é básico ou intermediário?
agosto 15, 2017
Exibir tudo

Morar no exterior – você voltaria para o Brasil? Tem gente que não!

Ir embora do tão amado Brasil é difícil. É uma renúncia enorme, de uma única vez: família, amigos, profissão, a cidade que você vive, as comidas que você ama, o clima e a cultura que você cresceu… é bem desafiador! Mas, normalmente que encara esse desafio não se arrepende. Hoje vamos falar de alguns motivos para que você não se arrependa e talvez não queira sequer voltar para o Brasil.

Esta no sangue do ser humano explorar novas lugares. É um desejo natural agregar novas experiências para a vida, ganhando muito valor cultural. E muitos dos que se mudam para o exterior buscam, quase sempre, o mesmo: estudar um idioma e conhecer cultura, pessoas, lugares, etc. Ainda, muitos procuram estudar e se aperfeiçoar em uma profissão.

Alguns que vão morar fora tem de passar uma experiência muitas vezes necessária, mas que agrega muito na vida das pessoas: o “subemprego” para se manter no país. O termo parece assustador, mas, não é nada além de trabalhos que são feitos que, se você estivesse no Brasil, poucos notariam sua presença, como por exemplo, limpar banheiros sujos, lavar pratos, recepcionar pessoas, estacionar carros, etc. Isto ensina muito as pessoas a ter respeito por quem faz aqueles trabalhos pouco valorizados por boa parte dos brasileiros.

Mais desafiador que isto são aspecto que contrastam países da América do Norte ou Europa. Como é sabido, infelizmente vivemos em um país com trânsito intenso em todos os lugares pela deficiência de transporte público, uma cultura não muito preocupada com o respeito ao próximo, que não dá o devido valor à educação e saúde, além de ter cidades perigosas, com assaltos, furtos e toda sorte de crimes sem a devida ação do estado.

O que falamos aqui não é uma crítica direta ao governo brasileiro ou algum tipo de “discurso partidário”. Estamos falando de contrastes. Na Europa, com muita facilidade você encontrará qualidade de vida em tudo: no trânsito, no transporte público que funciona, nos serviços de saúdes públicos que são impecávels no que tange à excelência do serviço médico-hospitalar. A segurança e as forças de polícia tem apoio legislativo e da própria população para manter de forma irrestrita a ordem em sociedade.

Crianças, cuidadores e professores andam pelas ruas sem estar preocupados ou com medo de atropelamentos, assaltos, sequestros, tiroteios ou qualquer outra situação bem comum para os brasileiros. Para quem pretende se mudar para o exterior, sobretudo com cônjuge e filhos, dá uma grande segurança por viver em um país com boas condições para o crescimento, amadurecimento e envelhecimento da família.

Mesmo o que falamos acima seja um forte motivo para se sentir seguro para mudar para o exterior, nem sempre se consegue saber qual país é a melhor opção. Afinal, o cenário econômico juntamente com o mercado de trabalho podem fazer você se sentir em uma situação de risco. Mas, procurar um lugar ao sol é a palavra de ordem para quem vive fora do país. Os país estrangeiros tem mais oportunidades para todos que o Brasil, tornando sua busca por empreender ou seguir alguma carreira empresarial totalmente possível.

Ainda, é bom lembrar: o custo de vida nos países Europeus e da América do Norte são muito mais baixos que no Brasil. E o salário pago lá são decentes e honestos, coerentes com a realidade de uma família. Isto dá mais segurança ainda para que você tome esta decisão.

Afinal, perante o que colocamos aqui, podemos afirmar com segurança que viver no Brasil é, no mínimo, mais desafiador que morar no Brasil. E, por este motivo, muitos que já foram embora do Brasil, mesmo com dificuldades no exterior, sequer cogitam a possibilidade de voltar para o Brasil – a não ser que seja para visitar pessoas queridas e pegar uma praia no verão brasileiro.

Baseado no artigo de Henrique Andrade Camargo

Portal Draft